Pessoas com deficiência na Ucrânia

Posted on: 10 March, 2022

Neste momento, as pessoas com deficiência, na Ucrânia, estão a ser deixadas para trás.  

O CVI está a acompanhar a situação na Ucrânia, em específico a das pessoas com deficiência, que são particularmente afetadas por não conseguirem sair do país fugir como a restante população. Há uma enorme falta de apoio e os meios são muito escassos.  

Muitos colegas nossos estão a trabalhar, de forma incansável, no apoio às pessoas com deficiência presas nesta guerra. Perante as circunstâncias, existem diversas formas de apoiar.  

Nesta fase, entre outras formas, é importante dar apoio monetário, para permitir que sejam adquiridos produtos nos países vizinhos.  

Partilhamos informação útil dos nossos companheiros da ENIL, bem como estratégias para lidar com a situação:  

Apelo da Fight for Right  

https://www.gofundme.com/f/help-disabled-ukrainians

Inclusion Europe (Direcionado a pessoas com deficiência intelectual e familiares; todo o dinheiro vai directamente para a Ucrânia)  

Através da National Assembly of Persons with Disabilities  

Organização: National Assembly of Persons with Disabilities Ukraine
Contacto: Valery Sushkevych, President
Banco: Joint Stock Company The State Export-Import Bank of Ukraine (JSC Ukreximbank)
Número da Conta: UA 83 322313 0000026001000039141
Banco correspondente:  Deutsche Bank AG, Frankfurt am Main, Germany
SWIFT:  DEUT DE FF   EUR
Detalhes da transferência: non-repayable financial assistance  

Angariação de fundos da Lumos, na região de Zhytomyr  

https://www.wearelumos.org/get-involved/ukraine-appeal/

Outras fontes de informação  

Podem encontrar informação e testemunhos: https://www.edf-feph.org/ukraine/  

Página do Facebook da Comissária Governamental para os Direitos das Pessoas com Deficiência Tatyana Berantsova: https://www.facebook.com/BarantsovaTatiana 

Gestão emocional em situação de risco  

A guerra pode gerar ansiedade e depressão, entre outras emoções negativas. O facto de estarmos longe do conflito não significa que este não tem impacto em nós. Necessitar de ajuda e procurá-la não é uma fraqueza, é também uma forma de contribuir para a paz.  

A Ordem dos Psicólogos publicou diversos guias práticos, que também partilhamos.  

Como abordar o tema com crianças: 

https://www.ordemdospsicologos.pt/pt/noticia/3929

Como gerir emoções e sentimentos em situação de crise: 

https://www.ordemdospsicologos.pt/ficheiros/documentos/opp_aguerraafecta_nosatodos.pdf

Se necessitarem de apoio psicológico, não hesitem em procurar ajuda profissional.